A constante luta em buscar do amor
A inconstante moça sem temor
Trouxe todo um brilho incomum
De um rapaz que era apenas um
Que fazia brilhar mais que constelação
Mais forte que o café do sertão


Sendo sincera
Muito mais que poeta
Sentar-se e ouvir suas mudanças de planos
Novos caminhos, novos encantos


Levar-ti a onde ama
Com toda energia que te embaça
Nunca te embaraça
Só espero que me faça
Sentir tudo que mereço
Peço com amor, sem desespero



Mudei devaneios
Transformei medo em desespero
Fiz comida sem tempero
Granulado sem brigadeiro
Morri e renasci outro ser
Que aprendeu a viver
Sem te ter
Sem lhe ver
Mesmo que te ver fosse fator raro
De mês em mês
Sempre com um talvez
Isso lhe satisfez?

Hoje posso dizer
Prazer em lhe conhecer
Mas bem, desprazer em te perder.
Felicidade
Aprendizado
Saúde
Saudade
Desejo lhe a ti
E uma pitada de bondade.






2 Comentários

  1. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho.Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
    A Verdade Em Poesia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fico muito feliz de ler comentários assim, me da vontade de continuar escrevendo mais! obrigada e muito sucesso a ti também!

      Excluir